Logo Fundação biblioteca digital do alentejo uma janela aberta para a cultura alentejana bda

Apresentação

A Fundação Alentejo - Terra Mãe, uma entidade privada sem fins lucrativos, foi criada em 2005 pelo advogado Dr. José Flamínio Roza, natural de S. Cristovão (Montemor-o-Novo), tendo o superior interesse cultural do seu plano de "Actividades Culturais" sido reconhecido pela Exma. Senhora Ministra da Cultura, Dr.ª Isabel Pires de Lima, no passado dia 31 de Janeiro de 2006. Esta instituição teve como fins a investigação e divulgação da história, tradições, costumes e falares do Alentejo, e bem assim a defesa e preservação dos valores culturais, artísticos, arqueológicos, paisagísticos e ambientais da Região.

 

Com vista ao desenvolvimento dos objectivos atrás referidos, a 22 de Outubro de 2005 a Fundação Alentejo-Terra Mãe aprovou, por iniciativa do Dr. Flamínio Roza e após apreciação do Conselho Geral, a criação de uma biblioteca digital regional - Biblioteca Digital do Alentejo (BDA) - tendo já estabelecido para o efeito parcerias com outras instituições educativas e culturais regionais e nacionais.

 

A Fundação Alentejo - Terra Mãe, através da criação da BDA, propôs-se reforçar a oferta qualificada de novos conteúdos on-line dentro do domínio fundamental da Sociedade de Conhecimento que são as Bibliotecas Digitais, tendo como objectivo servir, com rigor técnico e científico, um público alargado bem como promover e divulgar o Alentejo e as suas gentes. A Fundação pretendeu igualmente contribuir para a valorização e conservação dos fundos documentais e da herança cultural alentejana, bem como para democratização e promoção da igualdade no acesso ao conhecimento da História e Cultura alentejana.

 

A BDA foi desenvolvida por um dos Centros Operacionais da Fundação Alentejo Terra-Mãe: o Centro de Divulgação da História e da Sociedade do Alentejo (CEDISA). Este centro tem como objectivo fundamental a organização e difusão de documentação científica, cultural e literária sobre o passado e o presente do Alentejo e dos alentejanos com vista a reforçar a visibilidade do Alentejo na Europa da cultura e nas redes virtuais do conhecimento e informação, bem como contribuir para a criação da sociedade de informação e para a democratização do conhecimento da cultura e identidade alentejana.

 

A BDA constitui um fundo documental regional em suporte electrónico, propondo a conversão a formato digital de obras, quer impressas quer manuscritas, relativas à Região do Alentejo (temáticas ou autores alentejanos). Reúnem-se dois conceitos: o de biblioteca patrimonial e o de divulgação do conhecimento sobre a região. A BDA coloca on-line obras de âmbito literário, cientifico, memorialístico ou periodístico.

 

Com a extinção da Fundação Alentejo - Terra Mãe em Julho de 2009, a BDA foi doada DGLB - Biblioteca Pública de Évora, que tutelará e desenvolverá o projecto a partir deste momento.

 

Quem pode utilizar a Biblioteca Digital do Alentejo (BDA)?

A BDA pretende ser acessível ao maior número de utilizadores possível, com
vista a promover a democratização e igualdade ao acesso do conhecimento da
História e Cultura alentejana. Deste modo, são potenciais utilizadores da BDA
todos aqueles que tenham acesso à Internet e que demonstrem interesse nas
temáticas propostas pelo projecto, inclusive os cidadãos com necessidades
especiais.

 

Um dos pontos que se considerou ser fundamental na concepção do projecto BDA
foi a questão da acessibilidade. O projecto BDA pretende ser acessível ao
maior número de utilizadores possível, incluindo cidadãos com necessidades
especiais. Tendo em conta esta questão considerou-se prioritário a integração
de software específico para que indivíduos portadores de deficiência visual
tenham acesso aos conteúdos disponibilizados na BDA. Deste modo, o site
BDA utilizará, não só ferramentas que permitam aumentar o tipo cialis de letra e o
espaçamento entre linhas (obedecendo às directrizes de acessibilidade ao
conteúdo da Web 1.0 definidas com base na Recomendação de 5 de Maio de
1999 do W3C), como também, a transcrição sonora dos textos (utilizando o
software ReadSpeaker que dispensa a compra de hardware e software
adicional por parte do utilizador).

 

Equipa

Coordenação do Projecto:

 

Dra. Ana Rita Costa (desde Novembro de 2006)

 

Prof. Doutor Helder Fonseca (Fevereiro 2006 a Outubro 2006)

 

 

Equipa Executiva:

 

Dra. Maria Helena Aldinhas (Março 2006 - Novembro 2007)

 

Eng. Duarte Carvalho (desde Janeiro 2007)

 

Dra. Ana Rita Costa (Fevereiro 2006 - Outubro 2006)

 

Um Projecto Fundação Alentejo-Terra Mãe Projecto Financiado Pela União Europeia Pos Conhecimento